Buscar
  • Ricardo Violy

O estresse do "Stay Home".


Pois é... Estamos todos em ‘quarentena’. E quando digo ‘todos’ são “todos” mesmo. O mundo tenta vencer a propagação do CORONAVÍRUS ficando em casa, evitando aglomeração. Enquanto isso o que antes não existia, agora temos em sobra: o tempo. O importante é, o que fazer com o tempo que temos? Muitos têm ocupado o tempo em criar muita bobagem e postam, nas redes sociais, com o objetivo de alegrar os entediados. Outros criam textos maravilhosos para nos ajudar a como viver com a família neste momento tão complicado. Alguém lá no Brasil postou no grupo do WhatsApp da minha família, um texto que, assim que li, pensei em colocá-lo neste blog. Confira, vai valer a pena!

“QUERIDOS, cabe fazer um alerta. Já viajei em vários navios da Marinha do Brasil. Servi quase 10 anos embarcado. Lembro-me como se fosse ontem, de um tipo de adestramento que a esquadra sempre fazia, chamava-se 'endurance'. O ‘endurance’ nada mais era do que lançar o navio ao mar por 30 dias, sem porto. Eram 30 dias de mar “full time”.

Por que estou lembrando disso? É muito importante que você leia até o final. É um alerta para você e sua família.

Durante os ‘endurances’, os mais antigos de bordo sempre ficavam preocupados com o "moral" da guarnição, pois lá pelo 15º dia em diante, várias coisas aconteciam, principalmente o estresse. Qualquer coisa desencadeava a ‘porrada’ nos alojamentos. Amigos que, antes do navio, mantinham forte relacionamento, paravam de se falar. Qualquer coisa era motivo de brigas e desavenças. Os mais antigos (do Comandante ao Sub) passavam o dia inteiro e a noite toda monitorando "o humor do pessoal a bordo", para se evitar coisas piores. Eu até já presenciei suicídio a bordo. É sério. É perigoso manter pessoas, antes livres para ir e vir e fazer o que quiserem, de repente, confinados, sem direito a ir a lugar algum (no caso do navio, a terra mais próxima era o fundo do mar).

Agora traz isso para a realidade atual.

Nossas famílias estão confinadas dentro de casa, e eles não estão acostumados com isso. Nunca fizeram adestramento para tal. É uma situação completamente nova para todos.


Em poucos dias haverá mudança de humor. Preste atenção aos sinais e seja uma pessoa prudente e experiente. Elimine, logo no início, qualquer ‘zum, zum, zum’ dentro de casa que possa prejudicar o "humor da casa". É muito importante que você seja a pessoa responsável por isso.


Procure proteger sua família e não cobre muito. Não seja rabugento, não espere tudo na mão, não seja dono do controle remoto da TV, não fique o dia inteiro deitado no sofá bebendo cerveja. Esteja o tempo todo preocupado com o "humor da casa". Promova jogos, diversão, conversa fiada, estudo bíblico (para quem é cristão). Assistam filmes juntos, aumente o amor, nunca ao contrário.


Sua casa irá entrar na semana que vem em outro nível psicológico e cabe a você não deixar que o pior aconteça. Você é experiente, eles não. Mas, entenda, vai acontecer. É natural e esperado que aconteça. Então, como você já sabe disso, seja precavido e não alimente papo errado, não alimente desavenças, não alimente brigas. Seus pais, sua mulher, seus filhos, irão ficar estressados muito rapidamente, mas lembra-se:

A ÚNICA PESSOA QUE NÃO PODE FICAR ASSIM, É VOCÊ”.

Um Fraterno abraço... (Autor desconhecido).

12 visualizações

© 2016 / 2021  -  By Ricardo Violy  
ricardovioly@gmail.com
Facebook: @ViolyDesigner

www.ricardovioly.com

  • s-facebook